AIR MAX DAY!


Este mês, a Nike comemora o Air Max Day, uma celebração mundial do nascimento de um ícone no mundo dos sneakers. O modelo, que originalmente nasceu para corrida na década de 80, é considerado mais do que um tênis: é uma revolução. Impulsionando a cultura sneaker no Brasil, a Nike Sportswear organizou diversas ações em homenagem ao Air Max.Apresentado ao mundo pela primeira vez no dia 26 de março de 1987, o Air Max 1 ganhou as ruas nos pés de quem preza por design e conforto. 
 Ontem em São Paulo, a marca armou uma celebração especial de encerramento, também na Galeria do Rock, com presença de Tropkillaz e DJ Nyack.
Confesso que fiquei encantada com o evento , o cenário, o local, os tenisl tudo em harmonia e apaixonante! Em breve postarei fotos do evento, com todas novidades!

 

Ari Westphal errou corte de cabelo e virou aposta internacional!

Sobre cabelo curto, e cortes que deram errados eu entendo, porém eu nunca vi um errado que deu tanto certo! Morena de olhos verdes e dona de um cabelo cacheado de dar inveja, Ariely Westphal - ou Ari, como prefere ser chamada - causou furor no segundo dia de desfiles da ultima edição da SPFW.  

 O sucesso da brasileira, foi impulsionado por um erro. Numa ida ao cabeleireiro para acertar o corte de comprimento médio, o profissional se confundiu e passou a tesoura em tudo! Com passagem marcada para Nova York, Ari primeiro se desesperou, passou uma semana em casa postando apenas "fotos da natureza" no Instagram, sem coragem de contar o "desastre" para sua agência, até que resolveu assumir de vez os cabelos curtos, tendência que, mal sabia, estaria em altíssima cota na fashion week. E o erro virou acerto!

Sem sombras de duvidas, acho que ela ficou linda de cabelo curtinho e natural, realmente existem males que vêm para o bem, né? Com o cabelo mais liso e comprido, não tinha metade do charme de hoje!

 

Rihanna + PUMA + NYFW 

Além de Kanye West, alguém sabe quem irá apresentar uma coleção na semana de moda de NY ? Nada mais nada menos do que Rihanna!

No ano passado ela já havia sido nomeada diretora criativa da Puma,Quem não se lembra dos tênis da coleção FENTY? Ô se a gente lembra, viu... O fato é que uma nova coleção inteirinha PUMA by Rihanna será apresentada ainda esta semana na New York Fashion Week.

Em minha opinião, tenho certeza que a coleção será incrivel, afinal RIRI nunca nos deixa na mão.E o que será que vem por aí? Mais colorways do PUMA Suede? Novos modelos de tênis? Peças esportivas ou mais casuais? Estou mega aguardando!

 

Som de Andrew Belle

E essa vai ser a dica para ouvir durante o domingo! A suavidade da música de Andrew  Belle é encatadora e não sai mais do meu fone de ouvido ! 

JENNIFER LAWRENCE SOBRE SE SENTIR BONITA 


Jennifer Lawrence é uma dessas atrizes muito maravilhosas, que a gente admira tanto no profissional quanto no pessoal, e que ainda parecem ser gente como a gente.  Pra quem não sabe, a atriz também é um dos rostos da Dior, e deu declarações bem legais sobre como ela lida com a própria beleza para a revista Nylon.Não é nenhuma novidade que Jennifer ama comida. Mas não como qualquer outra atriz, ela realmente faz questão de gritar isso pro mundo, incluindo chegar nos eventos perguntando "Tem comida aqui?". Quando questionada sobre o quanto ela se importa com a sua própria aparência, a atriz respondeu: "Sim, mais do que quero, como toda mulher. Acho que todas nós temos qualidades e aspectos que precisamos trabalhar para nos deixar felizes. Toda vez que o pensamento do que eu gostaria de mudar em mim mesma passa pela minha mente, eu reflito, 'É realmente isso que eu quero? Eu realmente quero deixar de tomar uma taça de vinho no jantar? Eu realmente quero deixar de comer carboidrato depois das 16h? Eu realmente quero me esforçar pra ter aquela imagem?' Não. Você pode usar seu tamanho 34, é legal. Mas vou ficar no 38 e continuar comendo. Assim, fico feliz."É bem legal ver alguém que está exposta a comentários, críticas e a todo tipo de pressão para sempre buscar a perfeição, priorizar a sua felicidade assim. Nós aqui do IKA! acreditamos que é muito bom cuidar do próprio corpo e correr atrás pra ficar sempre linda (se isso te fizer bem), mas priorizamos a felicidade sempre. Tem gente que pode ser feliz convivendo com certas restrições, mas o que achamos incrível da postura da Jennifer é mostrar que sim, é possível se cuidar sem precisar abrir mão de certos prazeres. É só saber equilibrar e se aceitar. 


 

Musa RIRI para Puma 

Nossa musa Riri é embaixadora da Puma no mundo, em setembro a primeira parceria dela com a marca chegou às lojas arrematando o coração de todo mundo! A coleção que foi chamada de FENTY, foi lançada com um primeiro modelo: o creeper, o design é uma releitura do clássico e icônico Puma Suede de 1968, mas com um solado altinho, foi inspirado no movimento punk e é o que eu sempre digo, Rihanna tem uma atitude muito mais rock que muito roqueiro por aí. Pra mim, foi bola dentro demais, acho que todo mundo que viu esse tênis se apaixonou! 
No Brasil, o único lugar que vi vendendo, foi a Cartel 011 (aliás, a Cartel merece um post só pra ela no futuro, ela tem modelos super exclusivos), mas já esgotaram! Pro Brasil veio com o preço de 599,90 Dilmas, salgado. Acho que vou ficar só olhando a Riri desfilando com ele por aí mesmo. Lá fora está uma média de $120. 


STREETWEAR PARA MENINAS 


Como alguém que ama a moda streetwear, não é muito difícil pra mim citar marcas que são desejo no segmento. Infelizmente, a maioria delas é focada no público masculino, mas isso acabou criando espaço para novas marcas surgirem pensando (exclusivamente, hihi) nas meninas. Esse é o caso da DimePiece LA, a minha marca favorita quando o assunto é streetwear.
Fundada em 2007 na cidade de Los Angeles, cidade que a marca abraça como identidade, a DimePiece LAcomeçou com uma coleção de camisetas e, aos poucos, foi atraindo mais e mais público. Não demorou muito para as peças oversized ou com estampas como "Ain't No Wifey" bombarem no guarda-roupa das celebritieshollywoodianas e, consequentemente, em todo o mundo.  É quase impossível (especialmente pra mim) não desejar absolutamente todas as peças, mas infelizmente a marca ainda não é revendida no Brasil. Por enquanto, as compras podem ser feitas pelo e-commerce oficial da Dimepiece, onde você também pode conferir os outros modelos da coleção. Ufa, meu coração não aguenta! E aí, gostaram?  



PRECISAMOS FALAR SOBRE FEMINISMO 


Não é vitimização, não é "feminazismo", não é falta de louça pra lavar, muito menos falta de sexo. Bom, precisamos falar sobre feminismo. Eu já achei que era exagero, sim, achei. Desculpa, eu era mais uma vítima do machismo. Graças ao grande alvoroço dos últimos tempos, fichas estão caindo e eu vejo o quanto eu fui cega achando que coisas que vivi e vi não eram motivo de revolta. Eu que coloco os fones de ouvido no máximo quando passo por uma feira livre pra não ouvir gracinhas que me deixam desconfortável, eu que já desci em estação de metrô que não era a minha pra mudar de vagão por estar incomodada em ser olhada com um pedaço de bife. Eu que já paguei duas passagens de ônibus porque desci num ponto antes do meu e esperei o ônibus seguinte pra fugir de um homem que estava me dando medo. Perdoem-me, achava exagero porque não enxergava que ABSURDOS aconteciam na minha vida e na de todas as mulheres em minha volta sem eu me surpreender. Foi por causa do barulho, do exagero, da vitimização, da falta de sexo, da falta de louça, do feminazismo, do radicalismo, da histeria, foi por causa disso tudo que eu enxerguei que eu preciso me unir. Vi homens infiéis sendo perdoados porque agiram por instinto enquanto mulheres foram execradas ao trair. Senti mãos em mim em multidões, ouvi absurdos em festas. Eu só queria dançar... Já fui hostilizada por não querer dormir com um homem, já fui acusada de fazer um homem perder tempo porque conversei sem a intenção de um contato físico. Eu vi tudo isso, eu vivi tudo isso e eu não entendia o feminismo. Li uma frase no Facebook que dizia que a mulher descobre-se feminista ao olhar pra trás de uma rua escura e sentir-se aliviada ao ver que os passos que ouvia eram de uma mulher e não de um homem. Quem nunca? Só nós, mulheres, sabemos o que é isso. A gente está fazendo barulho porque fomos treinadas para nos calar e achamos que esse era o nosso papel, hoje vemos que não é e nem nunca foi. Estamos falando porque nos calamos por muito tempo e estamos falando pra convencer as próprias mulheres de que elas não precisam passar pelo que estão passando.

Vai ter textão, vai ter gritaria, vai ter passeata, vai virar tema de redação do ENEM. Não é uma guerra, não é essa a intenção. Não odiamos homens, não queremos que eles morram e que o mundo seja um grande conglomerado de estrogênio, nós queremos respeito e mais nada. Sei o quanto homens que são ~evoluídos~ sofrem com a impressão de que estamos generalizando, mas não há outra alternativa a não ser generalizar, nos desculpem... A maioria ainda nos intimida. A maioria nas ruas, nas baladas, nas empresas, nos transportes públicos. A maioria ainda nos diminui, a maioria ainda intimida as mulheres com olhares, palavras e gestos pelo simples prazer de intimidar, mero hobby... Conheço homens que respeitam e que ficam tristes com todo nosso barulho, mas é preciso que nos entendam, a gente cansou. A gente não se surpreendeu em nenhuma das situações que nos fizeram sentir vulneráveis, nós não falamos, nós nos calamos, nós éramos as violentadas e nós que sentimos vergonha por isso como se alguma ação nossa pudesse justificar o modo com que somos tratadas, nenhuma ação nossa justifica. A mágica aconteceu e agora a gente entendeu que o papel que nos deram não é nosso, a gente vai fazer escândalo sim, a gente quer mudar nossa cultura machista pra que amanhã nossas filhas e netas possam andar na rua de short curto com a mesma liberdade que um homem anda sem camiseta hoje.

A gente só quer respeito, liberdade e igualdade, não queremos ser maiores que os homens. Queremos olhar de igual pra igual pra que nossa relação seja de amor e respeito e não mais de submissão e medo. É esse o mundo que quero deixar pros meus filhos, a minha parte vou fazer. Vamos juntas?